Tribuna José Chamat

por Câmara de Indiaporã última modificação 04/07/2017 13h12
Tribuna José Chamat, na Câmara Municipal de Indiaporã, foi denominada pelo Projeto de Lei Nº 41/2011, de autoria do vereador José Aparecido Tiago Borges Júnior - Lei 473/2011 Indiaporã SP 04/08/2011

===========================================================================================

Lei 473/2011 Indiaporã SP 04/08/2011 - Tribuna José Chamat

===========================================================================================

José Chamat foi vereador em Indiaporã-SP na 3ª legislatura 1963 à 1966 - Câmara Municipal de Indiaporã

JOSÉ CHAMAT, nasceu em 02 de Novembro de 1926, na cidade de São José do Rio Preto, mas foi registrado como nascido em Buritama–SP.

Filho do senhor Abílio José Chamat (imigrante libanês) e da senhora Benedita Correa de Andrade.

Em 1953, mudou-se para Indiaporã, vindo da cidade de Votuporanga, com a esposa e 3 filhos. Teve mais um filho, o qual nasceu em Indiaporã, no ano seguinte. Roberval, Roberto, Leila e Reinaldo.

Foi comerciante desde que chegou em Indiaporã até o ano de 1989, quando por motivos de saúde retirou-se do comércio e fora morar em uma chácara nas proximidades da ponte do Ribeirão Pádua Diniz.

Ingressou-se na vida política em 1963, e podemos destacar grandes feitos de José Chamat:

  1. Foi presidente da Câmara Municipal de Indiaporã 3 mandatos, acumulando o cargo juntamente com as funções de secretário da mesma, sem receber qualquer remuneração da mesma por qualquer uma dessas atividades.
  2. Fez o primeiro regimento interno da Câmara Municipal.
  3.  Acumulou ainda as funções de assessor do prefeito José Teodoro.
  4. Fez inúmeras viagens a São Paulo para falar com o governador, custeando do seu próprio bolso essas viagens, no propósito de defender os interesses do município.
  5. Desenhou o brasão do município de Indiaporã.
  6. Auxiliou nas tratativas para a  contratação de um paisagista de Ribeirão Preto e fizeram o jardim com verba do governo estadual. As mudas vieram do Horto Florestal de Ribeirão Preto. feito o calçamento do jardim com pedras portuguesas, existente até hoje. Fizeram um lago com 2 garças dentro do jardim, destruído nas administrações posteriores.
  7. Foi um dos incentivadores para alargar as ruas Manoel U. Nogueira e Orozimbo Luiz Arantes.
  8. Juntamente com o senhor Íris Barbiere, diretor da Escola Othaydes Luiz Arantes e com outros comerciantes da cidade, fizeram uma comissão e foram até o Paraná para trazer uma agência do Banco Agrícola para nossa cidade.
  9. Criou e montou o plano diretor do Município de Indiaporã, trabalho este que lhe custou meses de dedicação e pesquisa, precisando se ausentar inúmeras dos seus afazeres e de sua família. Ele precisou ir para a cidade de Valinhos para fazer o curso necessário para capacitação de montagem do plano diretor.

10. Criou o projeto de hidráulica da cidade (plano de montagem da água). A água saia do poço artesiano e eram bombeadas até o reservatório (praça da caixa d’água), descendo depois com a força da gravidade. Esse projeto foi dado à Cesp e aproveitado até os dias de hoje.

11. Colaborou para fazer um acordo com o prefeito de Votuporanga e assim trouxeram a luz elétrica para Indiaporã. Essa luz era movida com turbinas a querosene.

12. Foi à Catanduva comprar uma mesa de PABX com 50 números. Contrataram 2 (duas) telefonistas de Indiaporã. No final de cada mês, iam à Fernandópolis pagar os interurbanos e depois repassavam o valor aos usuários.

13. Foi à São Paulo com o sr José Teodoro pedir verbas para pontes e mata-burros, que foram utilizados em sítios e fazendas do nosso município. Esse material era em boa parte trilhos da antiga Estrada de Ferro Sorocabana.

14. Interveio junto ao deputado Valdemar Lopes Ferraz para conseguir trazer o Ginásio para Indiaporã.

15. Conseguiu, junto aos fazendeiros e comerciantes, juntamente com o Sr. Cláudio Ribeiro Correa (época do primeiro mandato deste), verba para a compra de uma motoniveladora para abrir e consertar estradas. Esse empréstimo foi devolvido aos poucos aos fazendeiros e comerciantes.

Em todas as solenidades, José Chamat foi o orador que falava em nome do prefeito José Teodoro e também do prefeito Júlio Roberto de Santana.

Foi Juiz de Paz antes do senhor Carlitos da Silva. 

Foi presidente do Centro Espírita do Centro de Indiaporã e presidente da USE Espírita de Fernandópolis (órgão regional) onde comparecia nas reuniões.

Considerado por muitos como um dos maiores oradores que já teve no município de Indiaporã, pessoa de muita capacidade de realizar e discernimento, sempre disposto a colaborar com a política local. Ele acreditava que “os adversários políticos optaram por ofuscá-lo, de modo que os méritos sempre eram endereçados aos prefeitos e outras pessoas de menor importância”.

Em 1991, com 65 anos de idade, faleceu na cidade de São Paulo, onde fazia repouso de uma cirurgia realizada na cidade do Rio de Janeiro. Iria retornar à Indiaporã. Segundo familiares, na época, a prefeitura de Indiaporã alegou não ter condições de buscar seu corpo. Devido às dificuldades financeiras, a família optou por enterrá-lo no Cemitério da Vila Alpina. Posteriormete, seu corpo foi exumado e, conforme sua última vontade, trazido para Indiaporã para ser enterrado junto com sua mãe. 

===========================================================================================

PROJETO DE LEI Nº 41/2011

“Dá denominação a TRIBUNA da Câmara Municipal de Indiaporã e dá outras providências”.

Art. 1º  A TRIBUNA da Câmara Municipal de Indiaporâ-SP, denominar-se-á JOSÉ CHAMAT.

Art. 2º  Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 3º  Revogam-se as disposições contrárias.

Indiaporã-SP, 29 de Julho de 2011.

JOSÉ AP. TIAGO BORGES JÚNIOR - Vereador