Proprietários de imóveis e benfeitores

por Câmara de Indiaporã última modificação 25/04/2018 10h28
Benfeitores que contribuiram para o desenvolvimento do município Indiaporã SP através da venda, desapropriação ou doação de terras ou terrenos.

Personalidades que contribuiram para o desenvolvimento do Município Indiaporã SP


  1. LUIZ ANTONIO DO AMORIM fundador do povoado Indianópolis, atual município Indiaporã, doou o terreno onde foi construído a praça da matriz e que leva seu nome. Vendeu 97 lotes de terras ao redor da praça que deu início a colonização do povoado que foi denominado Indianópolis.

  2.  FRANCISCO LEONEL FILHO fundador do povoado Indianópolis, atual município Indiaporã, era genro do fundador, foi funcionário público na E.E. Othaydes Luiz Arantes, vereador e presidente da Câmara.

  3. HIPÓLITO DE MOURA fundador do povoado Indianópolis, atual município Indiaporã.

  4. ALCIDES BORGES fundador do povoado Indianópolis, atual município Indiaporã.


  • MANOEL DUTRA DE SANT'ANNA grande proprietário de terras na região onde nasceu o povoado Indianópolis, atual município Indiaporã. Um dos pioneiros nesta região.


  • JOÃO IGNÁCIO DE SOUZA grande proprietário de terras na região próxima ao povoado Tupinambá, atual Bairro Tupinambá localizando na zona rural do município Indiaporã.

 

  •  ABRÃO GONÇALVES SOBRINHO  doou o imóvel urbano nesta cidade de 1.600 metros quadrado, sito a Rua Paraná, onde se achava construído o prédio do Grupo Escolar. Após a construção do GEOLA em 1958 este prédio foi a Prefeitura, Escola Normal, Hospital e atualmente está instalado a Junta Militar e o Conselho Tutelar - Lei 2/1955

 

  • FRANCISCO FLORÊNCIO VICENTE doou área de terras destinadas a abertura de uma nova Rua a ser denominada Francisco Florêncio Vicente que servirá para ligar as Ruas Domingos Simões Marques e Cândido José da Silva e prolongar a Avenidade Nove de Julho e Rua Orozimbo Luiz arantes. Lei 12/1955.

 

  • VERÔNICA FRANCISCA DE JESUS vendeu 13.570 metros quadrados destinados a ampliação do campo de aviação por CR$40.000,00, dia 22/02/1956.

 

  •  FRANCISCO DAVID TEIXEIRA vendeu um terreno no valor de CR$ 8.590,00 para prolongamento da Rua Comendador Salgado. Lei 06/1958

 

  • FRANCISCO FLORÊNCIO VICENTE vendeu um imóvel no valor de CR$ 110.000,00 cruzeiros referente à 02 litros de terra, para construção do almoxarifado municipal. Lei 10/1964.

  • FRANCISCO FLORÊNCIO VICENTE vendeu um  lote de terras no valor de CR$ 110.000,00 cruzeiros para aumento do almoxarifado municipal. Lei 14/1964.

  • FRANCISCO FLORÊNCIO VICENTE vendeu um  terreno de 7.100 M2, parte do Campo de Aviação, anexo ao Almoxarifado municipal. Lei 08/1966.

 

  • JOSÉ INÁCIO DE SOUZA (Juca Inácio), cedeu as terras onde foi construído o Ginásio Estadual de Indiaporã, atual E.E. Prof. Dathan Cervo e também vendeu dez mil metros quadrados de terras onde foram aberta as Ruas Manoel Dutra Santana e Rua João Inácio de Souza, sendo esta última denonimada em homenagem a seu pai. - Leis 3, 4 e 6 de 1965.

 

  • ATANÁZIO LEMES CAMPOS vendeu 1 litro e 3 braças de terras para aumento do Cemitério Municipal - Lei 07/1965

 

  • FRANCISCO FLORÊNCIO VICENTE vendeu 10 x 30 metros de frente para Avenida Nove de Julho, destinados a Cotesp instalação de Serviço Telefônico e torre. Lei 3/1969 de 06/06/1969.

 

  •  THEODORO JOSÉ DE SOUZA, conforme a Lei 05/1971, foi desapropriado de um imóvel urbano medindo 27 M X 30 M na esquida da Rua Pedro de Toledo com a Rua Comendador General Salgado, para ser doado para a construção da delegacia e cadeia pública. Não foi aprovado pelo Secretaria de Segurança e foi aproveitado o terreno para contrução do C.C.I.

 

  • JESUS FERREIRA BORGES (ZÉ DA JÚLIA), conforme a Lei 05/1971, foi desapropriado de um imóvel urbano medindo 27 M X 30 M na esquida da Rua Pedro de Toledo com a Rua Comendador General Salgado, para ser doado para a construção da delegacia e cadeia pública. Não foi aprovado pelo Secretaria de Segurança e foi aproveitado o terreno para contrução do C.C.I.

 

  • EDSEO ABÍLIO MALDONADO (ESPÓLIO), conforme a Lei 07/1971, foi desapropriado de um imóvel urbano medindo 5 M X 60 M frente para a Rua Pedro de Toledo para ser doado para a construção da delegacia e cadeia pública, nos termos da Lei 05/1971.NOS TERMOS DA LEI 5/1971. Não foi aprovado pelo Secretaria de Segurança e foi aproveitado para construção do C.C.I.

 

  • OSWALDO PINHOTTI vendeu 52.557,50 M2 de terras para construção do núcleo residencial destinado a empregados da Cesp. Atualmente encontra-se construídas as casas da Quadra 4/5. (Lei 10/1972). Oswaldo Pinhotti foi esposo da senhora Odete Comar e teve uma grande quantidade de terras desapropriadas pelo município de Indiaporã e parte vendida a CESP para construção das casas do Vilão, onde hoje é o Recinto João Scatolin e Distrito Industrial. Até o presente o mesmo, seu nome não foi denominado em nenhuma Rua ou órgão público.

 

  • ANTONIO RICARDO RODRIGUES e sua esposa venderam 39.325 m2 de terras para construção do núcleo residencial destinado a empregados da Cesp. Atualmente encontra-se construídas as casas da Quadra 1 e 2. (Lei 10/1972)

 

  • JONAS PEDRO DE SOUZA e sua esposa, vendeu terreno 25 X 25 ( 625 m2) para serviço de tratamento de água. Foi construído um poço artesiano na estrada rural de liga Indiaporã à Guarani D'Oeste. = Lei 5/1973. É o principal poço de água que abastece a cidade.

 

==============================================================================================================================

==============================================================================================================================

 

  • PEDRO  CARDOSO DOS SANTOS  vendeu 400 M2 no Bairro Tupinambá. Destinar-se- á a construção e implantação de POSTO DE SAÚDE. Avaliado em NCZ$ 1.000,00 cruzados novos - Lei 407/1989.

 

 

  • ANTONIO CARLOS PIRES BORGES  vendeu no Bairro Vila Mariana, 01 lote de 4.500 M2 e outro de  900 M2. avaliados em CZ$ 1.500.000,00 - Lei 393/1988

 

  • CESP COMPANHIA ENERGÉTICA DE SÃO PAULO S/A. vendeu 726.076,54 M2 OU 72,60,76 hectares, matrícula 2.957, CZ$ 10.797.111,61. destinar-se-á a construção do Recinto de Exposições e Festas de Peões de Boaideiros, Armazém Comunitário e outros fins de interesse de Indiaporã. = Lei 386/1988 

  • CESP COMPANHIA ENERGÉTICA DE SÃO PAULO S/A. vendeu 3.126,14 M2 de terreno por CZ$ 130.000,00 destinado a construção do TERMINAL RODOVIÁRIO DE PASSAGEIROS. = Lei  337/1986

 

  • ESPORTE CLUBE INDIAPORÃ doou terras para construção de casas populares - Lei 439/1990

 

  • FRANCISCO RIBEIRO foi desapropriado de 1 imóvel irregular, medindo 60,50 m X 80,50 m (1.815 m2) por CR$ 4.500.000,00 = Lei 288/1985

 

  • NEUSA PAULA DA SILVA COSTA foi desapropriada de 2 imóveis, medindo 20 m X 30 m (600 m2) no Jardim Primavera, por CR$ 1.400.000,00 = Lei 277/1985

 

  • JOSÉ INÁCIO LACERDA e sua esposa ADELINA ALVES LACERDA doaram um terreno na Rua Manoel Urquiza Nogueira, Centro, onde foi construído uma agência da Caixa Econômica do Estado de São Paulo = Lei 139/1980

 

  • ALBERTO MOURA proprietário de 2 imóveis que foram doados à Sabesp para construção de sua sede na Avenida Nove de Julho = Lei 74/1978

 

  • JOÃO VIVO (356,25 m2) - Lei 45/1977 

  • ANTONIO ROMILDO BARBOSA (190,00 m2) - Lei 45/1977

  • HELENO JUSTO DE CARVALHO (190,00 m2) - Lei 45/1977

  • OSÓRIO SIMÕES MARQUES (213,75 m2) - Lei 45/1977

  • Os imóveis de que trata acima foram destinados a construção de uma praça pública e outros melhoramentos e complementam a área da Lei 20/1977. Local é a Praça Francisco Leonel Filho.

  • DOMINGOS SIMÕES MARQUES  foi desapropriado de um terreno medindo 9.050 m2 (100 m de frente pela Rua Moreira x 90,50 m Rua João Inácio de Souza). A municipalidade doou a Mitra Diocesana de Jales para construção de um templo religioso e uma praça = Lei 20/1977. Local da Praça Francisco Leonel Filho.

 

  • ANTONIO PEDRO DA SILVA foi desapropriado pela municipalidade de um imóvel medindo 2,42 hectares, destinado para construção do CENTRO DE LAZER DO TRABALHADOR de Indiaporã. Construiu-se um campo de bocha e um campo de futebol que depois foram demolidos. Este local é onde foi construído o Centro de Geração de Rendas e o destacamento de Polícia Militar = Lei 54/1977 e 249/1984.

 

  • ANTONIO OLIVEIRA POLIZELLI foi desapropriado pela municipalidade de um imóvel medindo 1,33 hectares, destinado para DEPÓSITO DE LIXO de Indiaporã. = Lei 42/1977

 

  • FILOMENA  BRANDI CÁFARO proprietária do "Sítio Praião" local onde havia uma Escola Rural construída pela prefeitura de Indiaporã e que foi inundada pelas aguas do lago da represa da Usina Hidrelétrica Água Vermelha - Lei 40/1977

 

  • OSWALDO PINHOTI foi desapropriado de 50.216,50 M2 = Lei 237/1983

  • OSVALDO PIGNHOTTI foi desapropriado de 1,8917 alqueires e doado a CESP para a construção de uma área de lazer = Lei 09/1976

  • OSVALDO PIGNHOTI vendeu 1,819 alqueires para ser feito doação ao Governo do Estado de São Paulo para a construção de um estabelecimento de ensino e o remanescente foi incorporado ao patrimônio de Indiaporã  (Local funcionou a Escola do Vilão e atual Centro Comunitário/Apae/Cras = Lei 24/1975

 

  • MÁRIO FRANCISCO DE AZEVEDO E ADEMAR DE AZEVEDO foram desapropriados de 3.964,72 M2 pelo município Indiaporã, sendo uma área que já se encontrava ocupada pelas CASAS CAMPOLAR (atual conjunto Itaporã) = Lei 27/1976

  • MÁRIO FRANCISCO DE AZEVEDO E ADEMAR DE AZEVEDO foram desapropriados de 15.026,60 M2 pelo município Indiaporã, que fez cessão a CESP para construção de núcleo residencial para seus funcionários que trabalharam na obra a Usina de Água Vermelha. Casas construídas onde localiza-se quadra 53. = Lei 22/1975

 

  • GUMERCINDA ESTEVES DA SILVA (esposa do senhor Miguel Batista da Silva) permutou um imóvel com a municipalidade para facilitar o prolongamento da Rua Francisco Florêncio Vicente e Rua João Inácio de Souza = Lei 23/1976

 

  • INNOCÊNCIO DUTRA DE SANT'ANNA (ESPÓLIO) 15.860,58 M2, município fez cessão para a CESP para a construção de núcleo residencial para seus funcionários que trabalham na obra de Água Vermelha = Lei 22/1975

 

  • WALDEMAR GARCIA 330,87 M2 município fez cessão para a CESP para a construção de núcleo residencial para seus funcionários que trabalham na obra de Água Vermelha = Lei 22/1975

 

  • PEDRO DIAS FURTADO doou propriedade para que fosse construído o prolongamento da Avenida Nove de Julho até o encontro com a rodovia construída pela Cesp e um trecho até o cruzamento da Rua Miguel Antonio de Resende. = Lei 21/1975

 

  • ATAIDE JESUINO NUNES (filho da senhora Cezina Maria de Jesus) doou 1.135,375 M2 cuja finalidade foi para construção do trevo asfaltado ligando a rodovia vicinal a nossa cidade através da Avenida Nove de Julho. O local hoje é onde está inserida a estátua da Índia Sentada, o trevo principal da cidade. O município concedeu isenção de impostos no loteamento Jardim Aparecida pelo prazo de cinco anos, há no loteamento apenas uma rua com o nome de sua mãe.  = Lei 20/1975

 

  • SEBASTIÃO SANTANA DE ALMEIDA e sua esposa doaram uma gleba de terras medindo 8.884,15 M2 para construção de núcleo residencial da CESP e o município isentou pelo prazo de 5 (cinco) anos o loteamento em anexo denominado JARDIM INDIANÓPOLIS = lei 18/1975

  • SEBASTIÃO SANTANA DE ALMEIDA foi desapropriado de 2.594,335 M2, avaliado em CR$ 450.000,00 = Lei 247/1984

 

  • ONIZIO LUIZ DE FREITAS, conforme Lei 05/1974, foi desapropriado de 12,63,80 ha ou 126.380 m2 ou 5 alqueires que foi doado a CESP para construção de núcleo residencial. A CESP devolveu a sobra de terra 8.302,14 m2, conforme Lei 351/1987 e no local a prefeitura construiu a Cohab Vanessa. Os cinco alqueires de terra vai da Rua Manoel Dutra Santana até a Avenida da Saudade e até proximidades do cemitério municipal. A maior parte do Hospital está dentro desta área. Foi um dos que mais tiveram terras desapropriadas pelo município. Até o momento não possui nenhuma Rua ou órgão denominado com seu nome.

 

  • IDELCIDES ARANTES DE SOUZA vendeu 4.180 m2 de terras para construção do núcleo residencial de funcionários da Cesp. (Lei 11/1975) - Venderam 8.780 m2 de terras. Pequena parte da área onde foi construído o Hospital da Cesp está nesta área. = Lei 11/1977. Idelcides Arantes de Souza segundo informações fez a doação do terreno onde foi construído o primeiro cemitério local que depois sofreu ampliações.